rio de janeiro

____ novembro 29, 2016 ____

Noo Cachaçaria

img_3189

A Noo Cachaçaria se tornou um dos meus lugares favoritos para comer e BEBER! Já começo com esse beber em caixa alta na primeira frase que é pra vocês absorverem o quanto eu gosto das batidas de lá e até arrisco aqui um top 3: cupuaçu com rapadura; melaço com gengibre; maracujá, mel e pimenta.

fullsizerender

Conheci o lugar através de uma amiga que costuma ir lá com a irmã e desde então eu voltei algumas vezes, levando inclusive a minha irmã. Ela é super chata pra comer camarão e mesmo assim achou uma delícia a panelinha de camarão ao molho de requeijão e alho poró. Além de gostoso, é um prato que satisfaz duas pessoas.

img_3209

Eu recomendaria também o Bolinho Cucuruqui, que são bolinhos de tapioca com linguiça defumada e queijo, servido com pimenta da casa. É o meu petisco favorito, mas certamente tem outros que valem a pena, como os pateiszinhos de vento que vem com ótimos molhos de acompanhamento e o aipim frito.

img_3208

img_0292

Às quintas-feiras eles tem algo que eu simplesmente amo: ostras! Elas vem fresquinhas de Santa Catarina e por isso mesmo só são servidas às quintas. Você pode pedi-las temperadas com cachaça.

img_3210

O ambiente é bastante aconchegante. As fotos que eu tento tirar dos pratos não ficam muito boas porque a iluminação do local é mais escurecida e amarelada e como eu já não sou uma boa fotógrafa (na verdade, eu apenas NÃO SOU fotógrafa) acabo não conseguindo imagens bacanas. Lá tocam musiquinhas gostosas de ouvir, que dialogam com a atmosfera do lugar.

Noo Cachaçaria: Rua Barão de Iguatemi, 358 – Praça da Bandeira, Rio de Janeiro.

____ dezembro 01, 2015 ____

Patrimônio Cultural: Feira da Reforma Agrária

Cícero Guedes foi um dos principais militantes do MST no Rio de Janeiro e estava assentado desde 1997 no assentamento Zumbi dos Palmares, onde empregava técnicas agrícolas sustentáveis e seus conhecimentos de agroecologia, referência para militantes e também para estudantes e professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). Em 2013, Cícero estava com as famílias do MST que ocupavam a Usina Cambahyba, antigo engenho de açúcar desativado e propriedade rural improdutiva com 3.500 hectares de extensão. Foi visto pela última vez ao sair do local de bicicleta. Seu corpo foi encontrado com marcas de tiros na cabeça e nas costas. Aos 43 anos, Cícero deixava 5 filhos.

Desde 2013, os Sem Terra organizam a Feira Estadual da Reforma Agrária Cícero Guedes na cidade do Rio de Janeiro. A sua 7ª edição ocorrerá no Largo da Carioca, nos dia 7, 8 e 9 de dezembro. Além da comercialização de cerca de 70 toneladas de alimentos diversificados, a feira também contará com shows, intervenções culturais e oficinas. Estará sendo celebrado o fato de que a feira que leva o nome do agricultor e militante Cícero Guedes, agora é patrimônio cultural do povo carioca.

Arroz, feijão, frutas, sucos, ervas medicinais e produtos derivados da cana de açúcar, como açúcar mascavo e melado, estarão sendo comercializados. O MST, que pergunta em sua página “quantas vezes pensamos nas outras possibilidades de arroz para além do branco?” convida a todos a conhecerem a variedade de produtos vindos de assentamentos da reforma agrária.

*A foto que ilustram o post foram tiradas na feira do ano passado.

Fontes:
____ outubro 17, 2015 ____

Hambúrguer e pão de queijo

Recentemente estive numa feira de moda, gastronomia e arte, a Armazém 4, no Tijuca Tênis Clube, que fica – lógico! – na Tijuca, aqui no Rio de Janeiro. Gosto da proposta de feiras assim por aqui, o ambiente era agradável e no dia estava caindo uma chuvinha fraca que deixou tudo mais aconchegante (eu gosto de chuva). Perambulei um pouquinho pela área de gastronomia e tive algumas boas surpresas.

Pela parte de moda passei praticamente direto (dei uma andada rápida pela área) porque não avistei nenhum item com o preço e não gosto de ser forçada a perguntar o valor para o vendedor e estabelecer uma comunicação que pra mim é desconfortável. Já na parte de gastronomia, a maioria tinha os preços dos produtos em cartazes ou quadrinhos de giz e eu me senti a vontade para comprar o que eu quisesse. Outra questão é que as pessoas estavam interessadas em falar sobre o seu produto, porque eles mesmos que estavam vendendo, faziam as comidas e conheciam suas matérias-primas. Acreditavam no que estavam fazendo. Visitei a barraca de uma nutricionista com cardápios de comida para o dia a dia, a bicicleta decoradinha de amigos que estavam vendendo palhas italianas e uma dupla que vendia biscoitos cookies desde o tradicional até opções sem glúten e sem lactose. Alguns ofereciam pequenas amostras para a gente experimentar.

Nessa de conhecer, acabei comendo um hambúrguer Macho Gourmet. Vejam bem, juntar hambúrguer com pão de queijo deve soar delicioso para a maioria das pessoas, mas eu não sou a maior fã de pão de queijo. Já tinham me dito que eu precisava experimentar e eu fui movida pela curiosidade. Ainda bem que eu experimentei.

IMG_8225

O hambúrguer era de alcatra, servido em pão de queijo, com geleia de pimenta e cream cheese. O tamanho é maior do que um pão de queijo comum, mas não chega ao tamanho de um pão de hamburguer. É algo intermediário e se eu não tivesse comido outras coisas, comeria dois. Custou 20 reais e estava uma delícia! E mamãe, que estava comigo, também aprovou. Lá no instagram eu publiquei algumas outras fotos do evento.